Ir para conteúdo

Febre amarela: Aruba passa a exigir comprovação de vacinação

Olá desbravadores!

Na hora de planejar um novo destino, certificar-se sobre as vacinas obrigatórias e atualizar a carteirinha é indispensável. Com o atual surto de febre amarela, recomenda-se a aplicação com no mínimo 10 dias de antecedência da viagem, para que seja válida.

Os passageiros que tomaram a vacina há mais de 10 anos devem apresentar a Carteira Internacional de Vacinação atualizada, mas não há a necessidade de tomar uma nova dose da vacina. Se o passageiro perdeu ou teve extraviada a sua Carteira Internacional de Vacinação, ele deverá vacinar-se novamente.

vacina
Foto: Creative Commons

Este ano, a lista de países que exigem a vacina contra febre amarela ganhou mais um integrante: Aruba.

O Ministério da Saúde do país estabeleceu que, a partir do dia 1º de março de 2018, turistas terão que apresentar obrigatoriamente o Certificado Internacional de Vacinação ou profilaxia (CPIV) – que nada mais é do que a Carteira Internacional de Vacinação. Assim, passageiros provenientes de mais de 20 países, entre eles o Brasil, poderão comprovar que estão em dia com a prevenção à febre amarela.

A Carteira Internacional de Vacinação é solicitada pelas companhias aéreas antes do embarque, e também pelos funcionários do Departamento de Imigração, Segurança e Alarme de Aruba (IASA).

“É nosso interesse, por sermos um país, seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) na prevenção de doenças endêmicas, como a febre amarela. Por esta razão, Aruba se junta aos vários países do Caribe, que já implementaram esta medida”, declarou Jerry Staring, diretor do Departamento de Saúde Pública de Aruba.

Exceções da vacinação contra a febre amarela

Existem situações em que a vacina contra a febre amarela não é obrigatória, que são as seguintes:

  • Passageiros em conexão (incluindo tripulação de cabine) ou de cruzeiros, que passarão menos de 24 horas na ilha;
  • Crianças menores de 9 meses de idade;
  • Histórico de reação ou de hipersensibilidade aguda a qualquer componente da vacina (inclui: gelatina, ovos, produto derivado de ovos, proteína de frango);
  • Pessoas com Transtorno de Timo;
  • Indivíduos imunocomprometidos: infecção sintomática pelo HIV ou AIDS, neoplasias malignas, doenças primárias da imunodeficiência e radioterapia;

Se o passageiro tiver alguma dessas contraindicações médicas para vacinação contra a febre amarela, ele deverá apresentar um relatório médico atualizado, devidamente assinado e carimbado, antes da data de viagem. Para mais informações clique aqui.

Au Revoir, Ciao, Hasta Luego, See you later, Até logo!

Nas redes 💻

✈Facebook: @blogmichellândia
✈ Instagram: @blog_michellandia
✈ Bloglovin’: Michellândia
✈ Linkedin: Michelle Graça
✈ Mochila Brasil: Autora Michelle Graça

Foto Capa: Creative Commons

 

 

Anúncios

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: